Costa Rica’s Craft Beer Company

  
Em minhas últimas vistas à maravilhosa Costa Rica tive a grata surpresa de conhecer as cervejas da primeira microcervejaria artesanal do país, que leva o verborrágico nome de Costa Rica’s Craft Beer Company.

Localizada a uma distância de cerca de 20 minutos da Capital San José, a cervejaria foi criada em 2010 por um grupo de amigos apaixonados por cerveja e que tinham um sonho de introduzir a cultura da cerveja artesanal em seu belo país. 

O resultado é espantoso, ainda mais em um país sem tradição na cultura cervejeira. Tive o prazer de provar quatro dos rótulos da costariquenha:

– Segue Red Ale: uma das melhores Red Ale que já tomei. Um pouco mais lupulada do que a média desse estilo. 

– Libertas Tropical Golden Ale: também  excelente, uma Ale leve e refrescante sem cair para o adocicado como muitas do estilo.

– IPA (sazonal): dry hopped e com amargor e refrescância que combinam bem com o clima do país caribenho. 

– Oktoberfest Ale: uma Ale estilo alemã, suave no amargor. 

Foram todas provadas on tap no bar do Hotel Marriot, mas a cervejaria também distribui sua produção em bares e pubs especializados em cervejas artesanais da capital San José. 

Quando pedir uma, não esqueça de fazer como os locais, brinde e grite em alto e bom som: “Pura Vida!!”

Site: http://www.beer.cr  

   

Anúncios

Delirium Café Rio de Janeiro

Aos leitores que gostaram de nosso post sobre a incrível Delirium Café Bruxelas (relembre aqui) , temos uma excelente notícia: o Brasil também possui a sua unidade desse excelente pub, instalada no Rio de Janeiro.

Com um cardápio com algumas centenas de rótulos diferentes, nossa versão carioca do bar belga não decepciona e é uma parada obrigatória para todos os apreciadores de uma boa cerveja. A primeira vez em que estivemos lá foi em 2011, quando o pub havia sido recém aberto e não tinha um público tão grande quanto o que constatamos agora, em 2013.

Em um sábado à noite, no final de semana da final da Copa das Confederações (o que pode ter contribuído para o grande aumento do público), o Delirium estava completamente lotado e fomos instalados em algumas mesas na calçada. Depois de um certo tempo para conseguirmos chamar a atenção de um garçom, efetuamos nosso pedido. A parte triste fica para a falta de estoque da cerveja que dá nome ao pub.

Apesar dessa falha, diversas opções de cervejas on Tap e em garrafas de diversos tamanhos estavam disponíveis. Inglesas, americanas, irlandesas e, claro, belgas para todos os gostos.

Uma melhoria que o bar teve de 2011 para 2013 foi a adição de diversos petiscos, entradas e sanduíches ao cardápio. Destaque para o Burguer Delirium, feito com pão de malte.

Os preços não são os mais amigáveis e assustam um pouco até os bebedores já acostumados às contas de cervejas premium. Mesmo assim recomendamos a todos a visita.

Delirium Café RJ – www.deliriumcafe.com.br

Rua Barão da Torre, 183, Ipanema

Funcionamento: de segunda a quinta, de 17:00 às 00:00h, sexta e sábado de 17:00 às 02:00h e domingo de 16:00 às 23:00h


Eisenbahn Pale Ale

Pale Ale é uma versão mais clara das Ales, tipicamente menos carregada no lúpulo (e no amargor) do que as Ales e IPAs mais tradicionais.

Essa é definitivamente a definição da Eisenbahn Pale Ale de Blumenau. Uma Ale feita sob medida para o paladar dos consumidores de um país tropical. Mais refrescante e leve do que suas similares européias, em especial as Belgas.

Um teor alcoólico relativamente baixo (4,8%) e um sabor que marca mais pelo malte e menos pelo amargor ou o frutado finalizam a receita feita para iniciar os apreciadores de Pilsen e Lager no mundo das Ales.

20130709-173213.jpg

Kirin Ichiban

Na semana passada visitei o excelente restaurante japonês Sendai, a convite do amigo Paulo, autor do blog Comendo em São Paulo. Lá chegando, pedi uma japonesa clássica, a Kirin.

Como toda boa cerveja japonesa, a Kirin é uma Lager suave, não muito alcoólica (5%) e nem muito amarga. Equilibrada. Bem ao gosto dos orientais. Seu sobrenome, “Ichiban Shibori”, significa primeiras prensagens, o que na prática trata-se do uso de menor pressão sobre os grãos na extração do açúcar. Segundo a fabricante, isso acarreta na necessidade de mais grãos para a preparação, mas deixa o sabor mais suave.

Apesar de presente no Brasil através da Schinchariol, Devassa, Baden Baden e Eisenbahn, as Kirin saboreadas aqui sao importadas. A que saboreei nessa ocasião era feita em Los Angeles.

20130626-191219.jpg

BrewDog Punk IPA

O carro chefe da escocesa BrewDog, fundada em 2007, é uma cerveja bastante peculiar. No estilo American Pale Ale, o que significa uma IPA feita com doses pesadas de lúpulos frutados importados dos Estados Unidos.

Tal combinação dá à Punk IPA o marcante amargor típico das IPAs mas com um forte gosto de frutas tropicais, destacando-se um sabor de maracujá que se mistura com o amargo do lúpulo no final.

Possui uma dose média de teor alcoólico (5,6%) e um amargor que marca 45 IBUs. Ótima pedida para os fãs de IPAs e cervejas mais amargas e fortes.

20130611-232830.jpg

Edelweiss

Cervejas de trigo costumam ter um gosto bastante acentuado que, na opinião desse blogueiro, lembram algo como pão líquido.

Esse definitivamente não é o caso da deliciosa Edelweiss. Produzida nas proximidades de Salzburg e dos alpes austríacos, essa cerveja de trigo possui um sabor leve e refrescante, muito diferente de outras similares.

Seu nome é o mesmo de uma flor típica da região que, reza a lenda, cresce em lugares muito remotos dos alpes, apenas podendo ser colhida pelos mais bravos. Esses, ao lograrem sucesso em sua busca, presenteiam a mulher amada com o raro troféu.

Mas calma, ao contrário da flor, a cerveja pode ser encontrada em lojas especializadas e em algumas redes de supermercados. 🙂

20110501-194435.jpg

DeuS

Caros leitores, provamos recentemente a ímpar e quase mítica cerveja DeuS. Para quem não conhece, trata-se de uma cerveja do tipo champagnoise, cuja produção (limitada a 15.000 garrafas/ano) inicia-se na Bélgica com o uso de puro malte, água e uma longa fermentação. Em seguida, a cerveja segue para a cidade de Reims, região de Champagne (França), onde é inserida em garrafas do famoso vinho espumante local.

Após engarrafada, a DeuS passará pelo processo de remuage, que significa girá-la diariamente para que os sedimentos da levedura sejam depositados no gargalo. Findo esse processo, são retirados os sedimentos e é inserida a rolha idêntica às de champagne.

A temperatura ideal para o consumo de DeuS é entre 0 e 4 graus celsius. Recomenda-se colocá-la por 30 minutos em um balde de gelo, de forma idêntica ao champagne, servindo-a em copos longos tipo flauta, copos esses que não dispunhamos na ocasião de nossa degustação. 🙂

O sabor de DeuS é único. Trata-se de uma cerveja refrescante onde pode-se (mesmo) notar uma complexidade de mistura de sabores como maçã, manjericão, carvalho e outros. O alto teor alcoólico (11,5%) é levemente perceptível assim como a puxada um pouco doce do sabor.

DeuS pode ser encontrada em varejistas e lojas especializadas por valores que variam entre R$ 120 e R$ 200.